domingo, 18 de março de 2007

Resumo: Educação escolar: políticas, estrutura e organização

Educação Escolar: políticas, estrutura e organização.

As transformações técnico – científicas, econômicas e políticas.

Segundo pesquisadores acerca do tema, revolução técnico-científica, também é denominada de revolução informacional, Terceira Revolução Industrial ou mesmo revolução tecnológica. Sendo que um dos diversos fatores que desencadearam tal acontecimento foi a globalização dos mercados, a produção flexível, o desemprego estrutural, ou seja, fatos tanto na área econômica quanto política.
Tais transformações mostram a diversidade e os contrastes da sociedade, sendo que elas resultam da ação concreta do homem, ou seja, interesses conflitantes que se manifestam no Estado e no mercado.
A revolução técnico-científica está fundamentada em três aspectos inovadores: a microeletrônica, a microbiologia e a energia termo nuclear. A energia termo nuclear pode ser comparada a primeira Revolução técnico - científica, a qual houve a descoberta e utilização da energia a vapor; a microeletrônica vem promovendo modificações nas necessidades, nos hábitos e nos costumes da sociedade através dos novos “instrumentos” apresentados, e a microbiologia é responsável por grandes descobertas da vida, mas também, por diversos perigos para a existência do homem e do planeta.
Pode-se comprovar alguns fatos dessa tríade revolucionaria na sociedade, como por exemplo, o decaimento do trabalho humano na agricultura ou mesmo na indústria, o qual são substituídos por maquinários com um grande avanço tecnológico.
É necessário também dar uma ênfase a Revolução Informacional a qual, foi possível promover o surgimento de uma nova linguagem comunicacional; divulgar os diferentes tipos de informação digital; ajudar no entretenimento e na educação social e também promover um maior acúmulo de informações acerca dos acontecimentos sociais. Sendo que tal revolução gerou uma nova forma de divisão social e de exclusão, de um lado os que possuem o monopólio de informação e do outro, os excluídos de tal acontecimento.
O surgimento da globalização está diretamente ligado ao capitalismo, pois através dele muitos países do globo começaram a ter uma interação econômica, política, e em diversas outras áreas. Sendo que foi a partir da reestruturação do capitalismo ocorrida no Século XX que aconteceu um progresso técnico – científico em áreas como as telecomunicações e informática. E com esse processo de aceleração cientifica pode-se dizer que surgiu a globalização. De tal modo, considera-se que a globalização é uma estratégia de enfrentamento de crise do capitalismo e de constituição de uma nova ordem econômica mundial.
Visualiza-se a globalização, por exemplo, nos processos de tramitação da economia mundial, através de mercados comuns, como o MERCOSUL, ou ainda por meio de blocos econômicos como a UNIÃO EUROPÉIA, NAFTA, entre outros. Com isso, a globalização pressupõe uma submissão a uma racionalidade econômica baseado no mercado global competitivo.
Ela é fortemente percebida em manifestações como: produtos de identidade nacional, implementação de programas de qualidade total, desempregos, crise social, recessão e minimização das políticas publicas.
A globalização traz consigo um conceito paradoxal, um conceito de inclusão, mas ao mesmo tempo de exclusão. A inclusão se dá pela idéia de união entre os países capitalistas orientada pela ideologia do livre mercado, contundo percebe-se que tal união realmente só ocorre com países desenvolvidos. Os países emergentes, conceito dado aos países em desenvolvimento, ficam excluídos de tal união direta, a participação dos mesmos ocorre de forma subjetiva, não possuem uma concreta participação nos acordos realizados entres os países desenvolvidos.
Além da atuação econômica, a globalização também ocorre na esfera do poder. Como exemplo tem-se a política neoliberal iniciada nos Estados Unidos, que é também onde se inciou o capitalismo e consequentemente a globalização, a qual prega uma política de liberdade econômica, social e política, uma liberdade em todas as áreas da sociedade. Sendo que com essa política neoliberal, tem-se a possibilidade de haver uma maior intervenção dos países desenvolvidos, em relação aos subdesenvolvidos. Por um lado, tal fato é de relativa importância, pois promoveria uma maior abertura econômica para a sociedade subdesenvolvida, mas também impedira o crescimento da indústria nacional, fazendo com que o país ficasse refém de tal política.



LIBANÊO, José Carlos. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo-SP: Cortez, 2003. p. 59 a 95.

3 comentários:

Politicas educacionais disse...

Boa tarde!
Seja bem vindo ao mundo virtual. Continue postando as atividades, logo irei fazer análise.

Politicas educacionais disse...

Boa tarde!

Ivan, está faltando a síntese sobre o neoliberalismo a terceira parte do texto.

atenciosamente.

Anônimo disse...

boa noite! Acho que ficou faltando a parte da educação nas escolas assunto este que o governo parace nâo dar tanta importância....